ZIKA VÍRUS TIMELINE




LINHA DO TEMPO DO ZIKA - DA DESCOBERTA AOS DIAS ATUAIS

Década de 1940

  • 1947 - Uganda: Abril de 1947 foi isolado pela primeira vez o vírus Zika a partir de macacos (Rhesus 766) sentinela para investigação do vírus da Febre Amarela, na Floresta Zika, em Uganda.

Década de 1950

  • 1952 - Primeiros casos de infecção humana pelo vírus Zika
  • 1954 - Registro de três casos de infecção humana na Nigéria
  • 1956 - Registro de infecção em humano. 

Década de 1960

  • 1962 e 1963 - Uganda: epizootias pelo vírus Zika
  • 1966 - Malasia: primeira evidência de circulação do vírus Zika fora da África, sendo o primeiro registro na Ásia. 
  • 1969 - Uganda: epizootia pelo vírus Zika

Década de 1970

  • 1970 - Uganda: epizootia pelo vírus Zika
  • 1972 - Senegal: Evidência de circulação enzoótica do Vírus Zika 
  • 1973 - Registro de outro caso em humano
  • 1971 a 1975 - Nigéria: realizado estudo por meio de testes de hemaglutinação sendo observado prevalência de Zika (31%), Febre Amarela (50%), Febre do Oeste do Nilo (46%) e Vírus Wesselsbron (59%). Testes de neutralização indicaram que 40% dos Nigerianos tinham anticorpos contra o vírus Zika naquela época. 
  • 1977 a 1978 - Indonésia: primeiros registros de Zika vírus no país. 

Década de 1980 

  • Sem registros importantes

Década de 2000

  • Até 2002: Entre 1968 e 2002, em apenas 606 amostras foram isolados vírus Zika a partir dos Centros Colaboradores da OMS (Laboratórios de Referência Internacional)
  • 2005 - Micronésia: Primeiros registros na Oceania
  • 2007 - Micronésia: De 01/04 a 31/07 ocorreu Surto de vírus Zika na ilha de Yap. Foram identificados 185 casos suspeitos de doença pelo vírus Zika e destes 49 (26%) foram confirmados e 59 (32%) foram casos prováveis. 
  • 2008 - EUA: Cientísta retorna e infecta a esposa com vírus zika, tornando-se a primeira transmissão não vetorial documentada. Até o momento (fevereiro de 2016) há apenas dois casos documentados de transmissão pela via sexual. 

CIRCULAÇÃO DO VÍRUS ZIKA DE 1947 A 2007

Década de 2010

2013

  • Outubro - Polinésia Francesa: primeiros casos e seguido de um surto explosivo com mais de 28.000 casos estimados. 

Registro de casos de Síndrome de Guillain-Barre e outras manifestações neurológicas na Polinésia Francesa entre 2013 e 2014


EVENTOS RELACIONADOS AO ZIKA VÍRUS NO BRASIL A PARTIR DE 2015

2015

Fevereiro

  • 05/02 - Primeiras notícias sobre a ocorrência de doença exantemática indeterminada no nordeste - rumores (clique sobre o nome dos municípios para ler a matéria: 
    • Caxias/Maranhão (05/02/2015 - Secretário de Saúde adota providências sobre surto de virose em Caxias)
    • Aracaju/Sergipe (14/02/2015 - 10:45 - Saúde de Aracaju esclarece boatos de epidemia - Epidemia de Rubéola em Aracaju é boato, diz a Saúde Municipal)
  • Final de fevereiro - Notificações recebidas: A Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS) monitora o aumento de registros de casos de doença exantemática na região nordeste. Segundo as notificações compartilhadas pelas Secretarias de Saúde dos Estados da Bahia, Maranhão, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Sergipe e Paraíba, todos os casos apresentam evolução benigna e autolimitada, mesmo sem nenhuma intervenção clínica. Os casos apresentavam exantema maculopapular; prurido e febre baixa ou ausência de febre, podendo ter apresentado cefaleia; hiperemia conjuntival não pruriginosa e não purulenta; dor e edema nos punhos e tornozelos. A faixa etária de 20 a 40 anos foi a mais acometida, embora existam relatos de pacientes com 4 meses de vida até 98 anos de idade.

MARÇO

  • Monitoramento e início das investigações de Doença Exantemática Indeterminada na região Nordeste. 

ABRIL

  • 29/04 - Bahia: Universidade Federal da Bahia confirma a identificação do vírus Zika a partir de amostras de pessoas com Doença Exantemática Indeterminada, residentes na cidade de Camaçari. 

MAIO

  • 13/05 - Investigação de doença exantemática indeterminadaO Ministério da Saúde acompanha a situação e participa da investigação dos casos de doença exantemáticas para definir os agentes causadores e adotar ações de vigilância, prevenção e controle complementares no país.
  • 14/05 - Confirmação do Zika pelo MS: Ministério da Saúde confirma os achados pela UFBA e padroniza a técnica de PCR para investigação desse novo vírus. 

JUNHO

  • A partir de junho de 2015, o sistema de saúde passa a identificar casos de síndromes neurológicas com histórico de doença exantemática com média de 24 dias (intervalo de 4 a 60 dias) entre a infecção e a manifestação neurológica. O destaque para esse evento é que ocorre prioritariamente em regiões onde observou-se a ocorrência expressiva de dengue ou que tenham evidências de co-circulação dos vírus Zika, Dengue e/ou Chikungunya, em especial nos Estados da Bahia, Pernambuco e Piauí. Enviada orientação aos Estados para notificação de Síndromes Neurológicas em 30 de junho de 2015. 
  • 24/06 - Piauí: notificação de alteração do padrão clínico-epidemiológico de síndrome neurológica. Entre abril e 24/04 foram detectados 20 casos com comprometimento neurológico grave (Encefalite, Mielite transversa aguda ou Síndrome de Guillain-Barré) com histórico de infecção recente por Dengue (IgM+).

JULHO

  • 14/07 - Bahia: 76 casos de Síndrome Neurológica com histórico de doença exantemática, sendo 42 confirmados para Síndrome de Guillain-Barré (SGB). Destes, 26 (62%) apresentavam história anterior de infecção pelo vírus Zika ou Dengue. 
    • A ocorrência de aumento de Síndromes Neurológicas após a circulação simultânea de arbovírus está descrita na literatura internacional. Entre elas destaca-se a Síndrome de Guillaín-Barré que é um polineuropatia inflamatório desmielinizante que afeta 0,6-4/100.000 pessoas/ano. Sendo que em 2/3 dos pacientes a neuropatia diagnosticada por SGB ocorre após algum processo infeccioso
  • 15/07 - Pernambuco: Universidade de Pernambuco - Identificação do Zika vírus em uma (01) amostra de líquido cefalorraquidiano (LCR) e três (03) de soro proveniente de pacientes com quadro agudo de Síndrome Neurológica e histórico de doença exantemática prévia
  • 29/04 a 21/07 - foi confirmada a circulação a ocorrência de casos autóctones em 13 Estados do Brasil, sendo Bahia, Rio Grande do Norte, São Paulo, Alagoas, Pará, Roraima, Rio de Janeiro, Maranhão, Pernambuco, Ceará, Paraíba, Paraná e Piauí.

AGOSTO

  • Boletim Epidemiológico sobre Zika vírus: Ministério da Saúde publica revisão sobre o conhecimento vigente em relação ao Vírus Zika. 
  • Pernambuco: a partir de investigação retrospectiva, verificou-se que este foi o mês de nascimento dos primeiros casos de crianças com Microcefalia possivelmente relacionada à infecção pelo vírus Zika. Considerando o dia 15 de agosto como referência para a data de nascimento e  considerando que a infecção tenha ocorrido nos primeiros três meses de gestação, a maior circulação do vírus possivelmente ocorreu entre os meses de janeiro, fevereiro e março, corroborando com o aumento na frequência de casos de dengue no Estado. 

SETEMBRO

  • Final de setembro ocorrem as primeiras observações de alteração do padrão em Pernambuco, a partir dos serviços de saúde especializados. 

OUTUBRO

  • 22/10 - Pernambuco: primeira notificação à Secretaria de Vigilância em Saúde confirmando a alteração do padrão epidemiológico de ocorrência de microcefalia no Estado de Pernambuco. 
  • 23/10 - Primeira notificação à OMS: O evento foi notificado à Organização Mundial da Saúde (OMS), 23 de outubro de 2015, por meio do Ponto de Contato Regional do Regulamento Sanitário Internacional. 
  • 26/10 - Primeira reunião para resposta às microcefalias: Em 26 de outubro de 2015, a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS) participou de reunião com gestores da SES/PE e especialistas. No mesmo dia integrou ao esforço de investigação por meio da Equipe de Resposta Rápida da SVS
  • 27/10 - Notificação de Potencial ESPII: Em 27 de outubro de 2015, a SVS/MS realizou nova avaliação de risco no âmbito do Regulamento Sanitário Internacional (RSI) e notificou o evento à OMS classificado como potencial Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII) por apresentar impacto grave sobre a saúde pública e por ser evento incomum/inesperado, conforme Anexo II do RSI;

NOVEMBRO

  • 10/11 - Ativação do COES-Microcefalia: a SVS/MS ativou o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública no âmbito do Plano de Resposta às Emergências em Saúde Pública, disponível em www.saude.gov.br/svs.
  • 12/11 - Declaração de ESPIN: o Ministério da Saúde publicou a Portaria GM nº 1.813, de 11 de novembro de 2015 que declara Emergência em Saúde Pública de importância Nacional (ESPIN) por alteração do padrão de ocorrência de microcefalias no Brasil, com base no Decreto nº 7616, de 17 de novembro de 2011. 
  • 17/11 - Nota Informativa sobre Microcefalias: orientação para notificação de Recém-Nascido pré-termo (Curva de Fenton) e a termo (menor igual a 33 cm)
  • 17/11 - Fiocruz: identificação do vírus Zika em líquido aminiótico de gestantes da Paraíba. 
  • 17/11 - 1º Boletim sobre MicrocefaliasAté 17 de novembro de 2015, às 12 horas, foram notificados à Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS) um total de 399 casos suspeitos de microcefalia, provenientes de sete estados da região Nordeste, com a seguinte distribuição do número de casos: Pernambuco (268 casos; 67,2%), Sergipe (44 casos; 11,0%), Rio Grande do Norte (39 casos; 9,8%), Paraíba (21 casos; 5,3%), Piauí (10 casos; 2,5%), Ceará (9 casos; 2,3%) e Bahia (8 casos; 2,0%). A distribuição geográfica dos casos é apresentada na Figura 1.
  • 24/11 - IEC/SVS: Identifica o vírus Zika em amostra de Recém-nascido do Ceará.
  • 28/11 - Relação entre Microcefalia e ZikaO Ministério da Saúde confirma neste sábado (28) a relação entre o vírus Zika e o surto de microcefalia na região Nordeste. O Instituto Evandro Chagas, órgão do ministério em Belém (PA), encaminhou o resultado de exames realizados em um bebê, nascida no Ceará, com microcefalia e outras malformações congênitas. Em amostras de sangue e tecidos, foi identificada a presença do vírus Zika.
  • 30/11 - Ministros debatem plano de enfrentamentoO ministro da Saúde, Marcelo Castro, juntamente com os ministros da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e da Defesa Civil, general Adriano Pereira Junior, além do governador de Pernambuco, Paulo Câmara, participam nesta segunda-feira (30), às 16h, no município de Gravatá (PE), de debate sobre o Plano Estadual de Enfrentamento das Doenças Transmitidas pelo Aedes aegypti (dengue, chikungunya e Zika). Também participam do encontro os prefeitos das cidades pernambucanas, secretários municipais de saúde e equipes técnicas do Governo Federal e do governo estadual.

DEZEMBRO

2016

JANEIRO

  • 12/01 - CDC: Resultado da investigação de 2 abortamentos e 2 Recém-nascidos que evoluíram para o óbito em menos de 24 horas e teve identificação do vírus Zika em tecido fetal. 
  • 12/01 - Diretrizes para estimulação precoce: lançamento da versão 1
  • 19/01 - Fiocruz: identifica o vírus Zika na Plascenta
  • 22/01 - Protocolo de Vigilância em Saúde: ajustes nas definições para melhor compreensão da notificação de triagem
  • 25 e 26/01 - Reunião de especialistas sobre vigilância do Zika vírus em Brasília.
  • 27 e 28/01 - Reunião de Sociedades Científicas Médicas e especialistas sobre os ajustes nas definições de casos para aumentar a precisão na triagem.